Loading...

terça-feira, 27 de julho de 2010

Sinceridade Mode: ON

A copa que passou, o goleiro que surtou e a novela que começou não me impressionaram.
A televisão há muito tempo não me traz novidades. Ironicamente, às vezes, me surpreende com boas reprises.
Novelas mexicanas, Cavaleiros do Zodíaco, Contos de Fadas... Assistir tudo isso de novo, depois de crescido, me faz refletir sobre a alegria. O quanto eu era feliz sem necessariamente precisar correr atrás da felicidade.
Hoje, supostamente ‘maduro’, já acordo com a idéia fixa de encontrar algo ou alguém que me faça sorrir ou chorar! Qualquer emoção serve! Um pouco de adrenalina e uma dose de otimismo no meu soro diário anti-envelhecimento.
Os dias vão passando e o meu rosto, nem sempre consegue esconder o acúmulo de mágoas que eu trago na minha mochila. Daqui algum tempo, as pessoas não vão mais me achar divertido nem meigo! Mau humor e intolerância são os primeiros sintomas da minha frustração.
Mas não posso culpar as pessoas pelo meu desânimo crônico de nunca ser conquistado.
Ainda não perdi a minha fé, mas as minhas orações ficam todas pela metade porque eu me distraio ou pego no sono.
Gosto de dias nublados e cinzentos porque me acostumei a uma temperatura ambiente fria. Às vezes, quando aparece um sol inconveniente, gosto de me sentar no jardim com meus velhinhos e sentir o calor na pele do meu rosto, esperando derreter um pouco do gelo que eu criei ao meu redor.
Vejo reproduzido nos filmes que eu assisto sem parar, versões alternativas das minhas histórias. A nostalgia das coisas que eu nunca vivi não me traz o sofrimento das escolhas erradas que fiz na vida real; e agora eu pago caro por cada passo em falso que eu já dei.

As pessoas que aparecem na minha vida vão passando como páginas de um livro ruim, que você lê desatento, ansioso pela próxima folha, esperando um desfecho mais interessante.
Encontros e desencontros de meninos que demoram tanto pra se encontrar, mas se perdem tão facilmente.
Vez ou outra conheço alguém realmente interessante. Cheios de afinidades, trocamos beijos e olhares de quem encontrou algo verdadeiro... Tímido e agradecido, sinto vontade de escrever cartas para Julieta Capuleto e Papai do Céu agradecendo por aquele momento, prometendo ser um bom menino dali pra frente; mas aí... Ele vira a página.
Acho que daqui uns 2 anos, vou curtir mais as músicas da Taylor Swift. Quando ela perceber que ser romântica e idiota não foi um bom negócio, e começar a escrever músicas sobre como não valeu a pena ser tão burra.
Nas eleições terá o meu voto àquele que garantir o transporte público terá assentos reservados para portadores de problemas emocionais de coração.
Sentadinho no meu lugar especial, eu descanso os olhos, que fechados enxergam melhor e consigo ver o Taz Mania subindo correndo a escada rolante que desce. De novo na direção contrária e na hora errada. É uma pena, sempre perdendo por WO.
Tenho certeza que nem todas as maçãs são podres, mas até então, todas as que eu mordi tinham um verme dentro ou estavam muito verdes.
Sabia que eu tenho uma gaveta de remédios? O quão triste isso pode ser?
A sinceridade não é bonita... Mas sinceramente, eu até que fico bem melancólico! Pareço sereno, enlouquecendo no mute.
Depois que apertamos o creme dental, não há como trazer a pasta de volta para o tubo de origem... Então o negócio é se adaptar, fingir que não vê e reiniciar o mais rápido possível!

Preciso de um ponto fraco mais discreto. Algo que eu pudesse esconder com uma roupa mais larga ou algum vício ilícito.
Queria ser como Aquiles, que só manifestava sua fraqueza ao ser atingido no calcanhar.
Sinto-me muito vulnerável e amaldiçoado, carregando como uma medalha, meu ponto fraco, bem no meio do peito.

3 comentários:

Wess_Lé disse...

Vários sentimentos ao longo da leitura. Não sei o que dizer, as vezes você tem o dom de me deixar assim, belo texto! Beijos

Sex and the City Tupiniquim!!! disse...

Realmente... existem alguns livros que de cara vemos que é de péssima leitura... outros demoram um pouco mais para que essa descoberta aconteça... mas no fundo, no fundo... pelo menos eu... as vezes até tento me iludir com "contos" ruins... me enganando e tentando acreditar que no fundo, no fundo... bem no fundo... eles até são interessantes e possuem o seu lado bom!
Meus últimos "livros" não tem sido tão agradáveis assim... nem tão pouco... contos de fada... realmente estão bem longe disso!!!
Mas... estou disposto encontrar alguém que me faça rir e chorar... ou como eu mesmo digo: "quero um drama para chamar de meu".
Espero no fundo do meu âmago que nem todas as maças não estejam podres... Elas não podem estar!!!

Até mais!!!
Sigo-te de hoje em diante!!!

Karllus Ciccone Lioncourt disse...

Vez ou outra conheço alguém realmente interessante. Cheios de afinidades, trocamos beijos e olhares de quem encontrou algo verdadeiro... Tímido e agradecido, sinto vontade de escrever cartas para Julieta Capuleto e Papai do Céu agradecendo por aquele momento, prometendo ser um bom menino dali pra frente; mas aí... Ele vira a página.
Nuss bem profundo o texto td mas em especial essa parte amei o texto lindo, espero q nem eu nem vc viremos essa página e se caso fizermos sejamos juntos pra continuar a escrever nossa história.
bjs