Loading...

sábado, 21 de janeiro de 2012

Síndrome de Cisne Negro

Eu tenho inveja da Natalie Portman em 'Black Swan' que cai dura depois de encontrar a perfeição, sabia?! Essa busca incessante pela satisfação me esgota cara! O peso ideal, o cabelo impecável, a descoberta de um talento, o lindo rosto, a melhor profissão, o caminho correto, a pessoa certa... Será que a gente nunca vai deixar de ser insatisfeito e parar de desejar sempre algo que não tem?
Há uma parte injusta do nosso cérebro que nunca libera a enzima X da sensação de satisfação e aí começa um jogo interminável em busca de uma compensação que pode nunca aparecer.
É preciso reconhecer a beleza nas imperfeições e falhas próprias e alheias. Não consigo mais passar os meus dias pisando com as pontas dos pés em ovos nem guardando palavras. Por mais que eu adore a idéia que somos perfeitos um para o outro, vai haver sempre uma diferença, uma aresta, um defeito...
"O escândalo é necessário, mas ai de quem o provoque" está na bíblia e está também na minha lista das verdades mais injustas que eu já li!
Eu sei que a maioria das pessoas consegue viver com doses diárias de paliativos para a sua falta de felicidade, mascarando um quadro terminal de agonia que nunca muda porque não conseguem ser verdadeiramente completos. Eu prefiro sempre falar. Principalmente porque o meu português é correto e o meu sorriso é lindo! Ainda que morra reclamando, eu quero ser aquele que viveu sempre buscando algo maior, seja um grande amor ou a tarracha de um brinco que eu perdi em baixo da cama... E eu sempre encontro.
Minha mãe me contou que quando eu era criança (há pouquíssimos anos atrás) eu era simplesmente incapaz de aceitar passivamente as decisões dos outros. Por exemplo, quando saíamos para comprar roupas, meus irmãos sempre deixavam ela escolher até suas cuecas, ou quando muito, acabavam optando entre uma alternativa e outra, eu não. Nunca cogitei outra situação onde eu não escolhesse as minhas próprias alternativas, ou seja, eu não me contentava apenas com a decisão final, mas sempre participei da seleção de todas as possibilidades que me rodeiam. Alguns dizem que pessoas como eu acham que têm o 'rei na barriga' e por isso são muito mimadas. Eu até concordo que adoro certos mimos e regalias, mas sempre fiz por merecer a coroa que trago na cabeça!
Não sei muito bem do que se trata esse texto, mas parece que a música já acabou e eu insisto em continuar dançando. Rodopiando sem parar, chorando e sem sair do lugar, esperando pra ver onde é que eu vou parar; para então decidir se vou querer mesmo recomeçar.
Antes eu acreditava em tudo. Em Deus, nas pessoas e nas mudanças. Depois passei a acreditar só no que era ruim pra ver se dava sorte... Mas agora nem sei mais. Nada mais me dá azar nem prazer... Se um gato preto cruzar o caminho o azar será dele e não meu. E se um gato seja preto, branco, loiro ou ruivo me olha, eu também não sinto nada... Preciso fazer alguma coisa, porque parado aqui, estático e imóvel é possível que eu acabe mesmo virando um iceberg.
Um conflito paranóico de identidade com um surto absoluto de promíscuidade e confusão das idéias através da ingestão de absinto e diversão em grande quantidade é tudo que eu preciso para voltar a enxergar as coisas com clareza e algum sentido.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Pretérito Imperfeito (te falta sacanagem)

Te faltou ter alguma mania esquisita
Te faltava reparar na lua.
Te falta rua.
Te faltou apertar a campainha e sair correndo.
Te falta perder o ônibus de vez em quando.
Te faltou apertar minha bunda também!
Te falta esquecer o ia dizer.
Te falta enfiar o pé na jaca.
Te faltou ver filme pornô.
Te falta perder uma aposta.
Te falta rir de tudo.
Te falta falar putaria.
Te falta sujar as mãos comendo manga.
Te faltou brincadeira e um fetiche.
Te falta comer fritura.
Te falta futuro.
Te falta mentir e não se arrepender...
Te faltou faltar mais na escola.
Te faltou me comer no cuspe.
Te falta um vício.
Te faltou matar uma barata voadora e virar o meu herói!
Te falta rolar na grama com um cachorro.
Te faltou gemer na cama como um cachorro.
Te faltou lamber os dedos, molhar os lábios e me falar bobagem.
Te faltou ter um ídolo e me deixar com ciúmes.
Te falta o escândalo e o exagero!
Te faltou chorar de tanto rir.
Te falta engolir o remédio com cerveja.
Te faltou me puxar pelos cabelos, lamber minha nuca e rasgar minha cueca.
Te faltou perceber que eu troquei o seu nome tantas vezes...
Te faltou ralar os joelhos.
Te falta falar palavrão.
Te falta roçar no colchão até gozar.
Te faltou fugir de casa de manhã e voltar de tardezinha.
Te faltou me desrespeitar um pouco mais...
(...)
Agora te falta carisma, uma espinha e uma tatuagem.
Te falta coragem e malícia...
Te faltou boa vontade e te falta sacanagem!

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Por Favor Não Leve o Meu Sol Embora

Eu confesso que perdi a mão para escrever sobre o amor ou algo parecido... Sabe aquele tipo (raro) de carinho recíproco que dá certo e faz bem? Então, não é comigo, mas dizem que tudo na vida é uma questão de costume, então vou tentar.
Acho que a principal característica de quem está apaixonado (e também a mais irritante segundo quem não está) é que você não têm hora certa para começar a sorrir.
Eu durmo bem quando falo com ele e tenho um sono gostoso com a sua voz de fundo no meu inconsciente.
Tem mensagem de bom dia, boa tarde, boa noite, boa madrugada, saudade, carinho extra e bônus com mais melação. Ele é a única forma de vida isenta do meu mal humor... Ele é a única excessão e não é 'Paramore'; é 'ParaMim'!
Namorar é dar cueca de presente e ver como ficou pra depois tirar. É sair pra jantar, mão boba no cinema e pagar pra ver qualquer filme.
É deixar de fazer a barba porque ele gosta e depois tirar tudo com raiva na primeira briga. Namorar é ficar arrasado após a primeira discussão e querer ficar de bem logo... Aí deixa a barba de novo! Namorar é palhaçada, é brincadeira... É deixar passar a mão na barriga e ficar junto para sempre assistindo a novela das 21h00 em qualquer lugar.
Ser namorado é clichê! É beijar na chuva, planejar reveillón juntos e chamar por um apelido exclusivo. É dedicar música e se dedicar também!
Estar apaixonado em 2012 é se masturbar pensando sempre na mesma pessoa. É aceitar as diferenças e apresentar pros amigos.
Amar é repetitivo e cansa... Mas sempre parece que é a primeira vez.
Feliz ano novo coração!

Não Esquecer a Esperança em 2012

Ontem eu voltei a escrever. Talvez recomeçar seja a melhor alternativa de desistir.
Usar o pretexto que eu quero fazer tudo diferente dessa vez é o álibi perfeito para não precisar mais encarar de frente a minha incapacidade de superar limitações.
Quando disse que a partir de agora serei outra pessoa não foi porque aprendi algo, mas sim porque não aguento mais bater de frente com quem só me dá as costas.
Chegou a hora de fingir tão bem a ponto de enganar a mim mesmo e voltar a me emocionar com o romance. As flores que que recebo são comemorativas. A ocasião é o funeral comunitário de corações que bateram tanto que bateram as botas ainda meninos e meninas.
Não existe mais delicadeza de acariciar em minhas mãos e as digitais não correspondem mais a minha verdadeira indentidade. Meus olhos não são mais capazes de procurar coisas bonitas. O que nos tornamos? O que eu me tornei? Não existem expectativas, apenas carência cativa crônica.
...
Não sei o motivo essa agitação generalizada em afirmar se o mundo acaba ou não em 2012, afinal já têm muito tempo que vivemos entre destroços. Sem respeito e sem amor nos tornamos inferiores e infelizes do coração pra dentro sempre sedentos por uma fonte de vida para sugar, sorrindo sem entender a piada ou a lição; gargalhando da própria desgraça.
Vivemos esperando e renovação da esperança disfarçada de fogos de artifício coloridos que iluminam o céu escuro do último dia do ano nos fazendo acreditar em grandes mudanças.
Que 2012 seja suave! Com pequenas doses de alegrias em meio às alergias. Nada muito significativo, não é apropriado. Algo que faça bem, mas que não chame a atenção... Ainda não estamos preparados para conhecer a verdadeira felicidade.